Adotou um novo animalzinho e não sabe como sua casa deve estar preparada para recebê-lo? Para esse momento tão especial separamos algumas dicas para deixar a convivência entre a família e o novo membro ainda mais feliz, harmoniosa e saudável.

Além de toda a alegria e amor, receber um filhote em casa é uma tarefa que requer muita seriedade, responsabilidade e possíveis ajustes na rotina e na casa da família. É preciso ter consciência de que cães e gatos possuem necessidades fisiológicas e emocionais, sendo dependentes de cuidados. Por isso, é preciso ponderar o tempo e o dinheiro que serão destinados ao novo amigo durante toda a vida dele.

Adaptando o lar para a chegada do filhote.

Toda mudança é uma experiência nova, podendo levar certo tempo até que ocorra a adaptação completa. Com seu filhote não é diferente. Provavelmente ele estranhará o novo lar nos primeiros dias, já que estava acostumado com o aconchego da mãe e dos outros membros da ninhada. Isso fica mais evidente nas primeiras noites de sono, quando é comum seu novo filhote resmungar ou chorar. Mas não se preocupe: na tentativa de suprir essa ausência, algumas alternativas podem ser utilizadas para deixá-lo mais seguro e confortável.

Aqui vão algumas dicas de como preparar o ambiente para a chegada de um pet:

1) Cama

Prepare uma cama limpa e quentinha para seu novo amigo. É importante que ele tenha um cantinho só dele. Esse ambiente dever ser arejado, com pouco barulho e com uma certa distância do local onde ele fará as necessidades.

2) Toalhas com cheiro da mãe

Se possível, peça ao canil ou gatil de origem ou para o responsável pela doação uma toalha ou qualquer objeto que era utilizado pela mãe. Assim, o filhote poderá sentir o cheiro dela durante a noite.

3) Bichos de pelúcia

A ideia é que esses bichinhos simulem o contato corporal que o filhote tinha com a mãe e os irmãos dele. Dessa forma ele dormirá mais tranquilamente. 

4) Local para necessidades fisiológicas

O novo animalzinho irá precisar de um local para fazer suas necessidades fisiológicas. Esse local deve ser distante do comedouro, bebedouro e da cama.

Para os cães, após a escolha do local ideal, você pode forrá-lo com jornal ou tapete higiênico. Preparamos algumas dicas para que essa adaptação aconteça da melhor maneira possível:

- Geralmente, após acordar, o filhote sente necessidade de urinar. Por isso, procure levá-lo ao local logo pela manhã.

- Alguns filhotes urinam ao ficarem alegres. Um exemplo disso é a chegada do dono após algumas horas fora de casa. Ao chegar, procure ir direto ao local em que deseja que seu animal urine. Só quando estiver lá, dê atenção e brinque com ele.

- Ao perceber que seu filhote está inquieto e já faz algum tempo que ele não faz as necessidades, leve-o para o lugar correto.

- Parabenize-o quando fizer as necessidades no local adequado. Assim, ele assimilará que esse comportamento está correto.

- Corrija-o verbalmente quando fizer necessidades em locais inapropriados. Atitudes mais severas não vão ensiná-lo, e sim fazer com que ele sinta medo de você, desestabilizando a relação de confiança que está construída.

Os gatos são muito higiênicos e aprendem facilmente a usar a caixa de areia. O ideal é deixá-la em um ambiente tranquilo da casa, pois são animais reservados. Mantenha sempre a caixa de areia limpa – o comportamento de urinar e/ou defecar fora da bacia sanitária normalmente está relacionada a falta de higiene no local. Os felinos podem não se adaptar ao modelo da caixa de areia fornecida, e alguns fatores podem estar relacionados a isso, como altura, formato da caixa e tipo de areia. Por isso, tenha paciência até encontrar o modelo apropriado para seu gatinho. Uma dica importantíssima é que o número de caixas de areia ideal seja correspondente a uma caixa para cada gato e mais um extra. Por exemplo, uma casa com dois gatinhos precisará de três caixas de areia. E se você possuir mais de dois gatos, é importante que as caixas de areia fiquem distantes uma da outra, diminuindo situações que podem causar medo ou desconforto ao filhote.

Vale lembrar que para desenvolver bons hábitos, é necessário constância. É importante que você compreenda que essa adaptação ao novo lar pode levar algum tempo. Seja paciente, atencioso e dê muito carinho para que ele se sinta em casa rapidamente. 

5) Risco a se evitar

Filhotes são extremamente curiosos e ativos. Por isso, para evitar acidentes e garantir a saúde do seu novo amigo deve-se manter total atenção e evitar o acesso a locais de risco. Por exemplo:

- Piscina, escadas, janelas, varandas e portões vazados;

- Contato com outros animais - animais menos sociáveis ou peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões;

- Alimentos tóxicos - alho, cebola, peixe e carnes cruas, cafeína, chocolate e uva, por exemplo;

- Plantas tóxicas - comigo-ninguém-pode, lírio-da-paz, orquídea, samambaia, copo-de-leite, flor-da-fortuna, costela-de-adão, hortênsia, coroa-de-cristo e espirradeira. Essas plantas podem intoxicar os animais se forem ingeridas;

- Medicamentos devem estar sempre fora do alcance dos animais;

- Produtos de limpeza – áreas onde foram utilizados produtos químicos ou de limpeza há pouco tempo, pois eles podem provocar reações alérgicas ou intoxicações;

- Lixo – o filhote não deve ter acesso ao lixo, já que ele pode conter ossos, alimentos estragados ou até produtos tóxicos.

6) Manejo ambiental

As brincadeiras e interações que você irá disponibilizar é de suma importância para a saúde e desenvolvimento do seu animal. Por isso, deixe ao alcance do seu filhote brinquedos apropriados, como bolinhas, brinquedos feitos de corda, bichinhos de plástico e brinquedos mais simples, como garrafas pet vazias. Lembrando: caso seu novo animalzinho seja um gato, certifique-se de ele não tenha acesso a lugares perigosos, pois são animais que adoram subir em mesas, sofás, armários e até mesmo entrar em gavetas. Como eles gostam de ficar no alto, é interessante instalar nichos e armários de madeira para que eles se sintam mais confortáveis e seguros. Além disso, deixe ao alcance do seu gatinho arranhadores, bichinhos de borracha, túneis e caixas de papelão. Com certeza seus gatinhos vão amar!

Outro cuidado ambiental falando especificamente de gatos são as telas em janelas, principalmente para aqueles que vivem em apartamento. Além de evitar acidentes, as telas impedem que o gatinho possa sair de casa, evitando que ele se machuque, brigue ou até mesmo seja atropelado.

Devido à curiosidade e a troca de dentes, é comum o filhote mastigar o que vê pela frente. Evite deixar certos objetos ao alcance dele, para que não mastigue ou coma pedaços ou objetos inteiros, como cabos de eletricidade, meias e moedas.

Lembre-se: o primeiro passo ao adquirir um filhote é levá-lo ao médico-veterinário. Ele é o único profissional habilitado a realizar avaliações clínicas, tirar suas dúvidas, fazer recomendações, prescrever medicamentos e elaborar um protocolo vacinal e de vermifugação específico para seu novo amigo. Além disso, ele auxiliará na escolha do alimento ideal para seu novo companheiro. Para saber mais sobre a nutrição específica para filhotes, clique aqui.

Coautoras: M. V. Bárbara Sanchez e M. V. Kelly Carreiro.